Contabilidade Consultiva

6 desafios da contabilidade em tempos de crise

11 ago

A contabilidade em tempos de crise exerce um papel fundamental. Afinal, é a ciência da riqueza, aquela que garante a saúde financeira de uma empresa. No entanto, as instabilidades que vemos em alguns momentos provoca nos empresários sentimentos de ansiedade e segurança. Apesar de isso ser esperado e normal, é exatamente aqui que a contabilidade deve atuar para “segurar a onda”.

Estratégias de marketing digital para você aplicar em seu escritório contábil

Neste kit, você encontrará métodos que te ajudarão a vender seus serviços contábeis. Desde o Marketing Digital (emails e redes sociais) até métodos de proposta!

Um contador consultivo é um grande aliado nos momentos de crise, porque evita a tomada de decisões precipitadas e erradas. Prever cenários e planejar ações, mesmo na incerteza, é essencial para manter a empresa de pé. Mas nada disso é simples. 

A contabilidade em tempos de crise enfrenta muitos desafios e, para superá-los, é preciso adotar ações práticas. Pontuamos como foram as recentes mudanças no mercado contábil, bem como os desafios (e suas soluções) para vencer esse período difícil e conturbado pelo qual passamos. Acompanhe!

Mudanças do mercado da contabilidade em tempos de crise

Em março de 2020, a pandemia do novo coronavírus atingiu o Brasil de forma agressiva. Os reflexos dessa crise mundial são muitos graves, e podemos citar dois exemplos que trouxeram reflexos diretos no mercado contábil.

O primeiro deles é o crescimento do desemprego, que subiu para 13,3% em junho, com nova queda recorde no número de ocupados. Em apenas 3 meses com a pandemia, houve perda de 8,9 milhões de postos de trabalho, como aponta reportagem do G1. É a consequência da inatividade de milhares de empresas ao redor do Brasil, devido ao necessário distanciamento social.

O segundo reflexo é a recessão técnica da economia brasileira: queda do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil de 9,7% no 2º trimestre em comparação com os 3 primeiros meses de 2020. São 6 meses consecutivos de encolhimento do nível de atividade econômica também devido à redução da atuação das empresas.

Esse cenário crítico fez com que os governos municipais, estaduais e federal adotassem medidas emergenciais para amenizar os efeitos. Para os empresários, a tentativa maior é sobreviver e evitar demissões em massa. E é exatamente aqui que entra o papel do contador, orientando seu cliente a tomar as ações mais assertivas para preservar o negócio.

Por isso, podemos dizer que a maior mudança do mercado da contabilidade em tempos de crise é a atuação consultiva e estratégica. Há grande insegurança dos empresários em relação a questões contábeis, financeiras e trabalhistas. Todas elas são cruciais para a gestão, mais especificamente para a sobrevivência no mercado.

É impossível prever as consequências desse período de inatividade e distanciamento. No entanto, os profissionais de contabilidade possuem bastante conhecimento para trabalhar neste contexto sem perspectiva. Os clientes não podem tomar decisões precipitadas, agindo por impulso e comprometendo a saúde financeira do negócio. Com as informações atuais, o contador deve oferecer apoio e consultoria para conduzir os negócios da melhor maneira possível. 

E a primeira atuação é entender os principais desafios da contabilidade em tempos de crise para superá-los!

Principais desafios da contabilidade em tempos de crise

Principais desafios da contabilidade em tempos de crise

A contabilidade em tempos de crise enfrenta não só os desafios impostos pelo cenário macroeconômico, como atualizações legislativas e medidas de exceção. Os maiores empecilhos estão relacionados aos próprios clientes e à saúde financeira das empresas. 

Sem dúvidas, o contador deve cumprir as obrigações fiscais e tributárias em vigor durante a pandemia. Algumas alterações nas datas de cumprimento delas, por exemplo, já vem sendo observadas. Mas essa é só “a ponta do iceberg” para a contabilidade em tempos de crise. 

Conduzir o negócio do cliente em cenários de incerteza gera muitas consequências. Lidar com a angústia do empresário, não ter um relacionamento presencial e outros desafios se apresentam neste momento.

Conheça os principais a seguir e saiba como atuar para contorná-los!

1. Entender o momento da empresa (e a angústia do empresário)

O profissional de contabilidade em tempos de crise exercerá um papel importante para compreender a real situação do cliente e da empresa. Funcionando como uma espécie de psicólogo, deve compreender os principais impactos que a crise trouxe para o empresário. Essa tarefa pode parecer fácil para um contador consultivo, mas a escuta é algo que não é bem desenvolvida por profissionais da “área de exatas”.

Afinal, são acostumados a lidar com gráficos e números de maneira fria. E não se ensina na faculdade como atuar de maneira próxima ao cliente, criando uma relação de confiança. Neste sentido, vemos muitos empresários apresentarem a queixa de não ter um contador que saiba profundamente sobre seus negócios.

Por isso, para superar esse desafio de entender o momento da empresa e a angústia do empresário, o contador deve começar com um diagnóstico da organização. 

O diagnóstico organizacional é voltado para entender as principais fragilidades e os pontos fortes da empresa naquele momento. Você precisa avaliar os dados financeiros e contábeis no período que antecede a crise para entender a posição atual. Quais eram as perspectivas naquele momento? O que mudou? Quais os principais impactos naquele segmento?

A partir dessa análise, você terá em mãos dados para enfrentar a crise de maneira mais eficiente. Lembre que o cliente está em um momento de angústia, tentando fazer com que seu negócio sobreviva ao momento difícil. Com suas informações, ele terá mais segurança em tomar decisões de forma racional.

Se a documentação financeira não está em dia, resolva. Busque informações básicas e complexas, que envolvem saldo em caixa, capital de giro e outros pontos. Assim, você conseguirá traçar abordagens para aliviar as principais dificuldades.

2. Ajudar o empresário a manter os pés no chão

Seguindo a ideia de lidar com as principais dores do empresário, a contabilidade em tempos de crise lidará com outro desafio: ajudar o empresário a manter os pés no chão. Uma pesquisa muito interessante realizada por Lucy English, especialista em resiliência corporativa, publicada junto a um artigo do MIT Sloan, aponta que metade das pessoas pensam no pior diante da crise do novo coronavírus.

Se seu cliente está na metade bem pessimista, você tem um grande desafio pela frente. E contorná-lo também passa pela escuta das dores. A função do contador consultivo é trazer o empresário para a realidade com dados concretos. Eles mostrarão o que pode acontecer, inclusive a recuperação da empresa após a crise. 

Ao invés de alimentar esse mindset de catástrofe, que acredita que todos os clientes cancelarão os pedidos ou não realizarão o pagamento, mostre de forma prática a realidade. Existe, sim, quem ficará inadimplente e quem cancelará. No mesmo sentido, outros tantos manterão a relação. Essa ação simples pode dar um norte para o empresário identificar por onde começar suas estratégias, como priorizar clientes de contratos vultuosos.

3. Simular cenários diante das incertezas

Talvez o maior desafio da contabilidade em tempos de crise é fazer planejamentos diversos diante das incertezas. Um bom trabalho contábil faz a simulação de cenários para entender qual a melhor escolha. Isso é especialmente importante na hora de realizar os planejamentos tributário e financeiro, por exemplo.

Com os dados coletados no diagnóstico organizacional, o profissional deve construir um plano para os próximos meses. Sugerir ações de redução de custos, fazer uma profunda análise do fluxo de caixa, projetar despesas e receitas, estabelecer prioridades de pagamentos e renegociar prazos serão práticas comuns. No entanto, como realizar tudo isso sem saber o que vem pela frente?

Será que teremos no Brasil uma segunda onda de contágio, que fechará o comércio novamente? As medidas anunciadas pelo governo serão estendidas por mais tempo? Sem saber exatamente o que virá, você deve trabalhar com o que existe no momento. 

Simule vários cenários para ter um plano de ações para cada um deles. Ainda que seja algo incerto, isso dará mais confiança e segurança ao empresário. Assim, ele vê com clareza as possibilidades pelas quais poderá passar. Com essa organização, com visibilidade da situação financeira, a empresa consegue caminhar melhor.

4. Avaliar a viabilidade dos pedidos de crédito

A contabilidade em tempos de crise possui uma tarefa árdua com o empresário: pedidos de crédito. Demissão de trabalhadores, baixa demanda, produtos que se acumulam no estoque, serviços que param de ser prestados. A receita cai vertiginosamente e, para manter a empresa viva, as linhas de crédito podem ser a única saída para honrar compromissos financeiros.

A partir do diagnóstico da empresa, o contador consegue identificar eventuais problemas de caixa e cortes de gastos possíveis. Quando todas as ações administrativas se esgotam, é possível se deparar com prazos de recebimentos e pagamentos inegociáveis. A busca por crédito passa a ser um caminho.

Neste ponto, o desafio melhor é ser ouvido pelo cliente. O contador deve avaliar as melhores opções de crédito, observando os principais fatores na hora de contratar um empréstimo. Ainda que você fale que os juros do cheque especial são absurdos, o empresário pode simplesmente agir de maneira irracional apenas por costume. Isso acontece bastante com empresas iniciantes que não têm conhecimento (nem contador consultivo).

A questão principal é avaliar o objetivo do empréstimo e a melhor opção para cumprir à finalidade. O profissional da contabilidade em tempos de crise pode, por exemplo, se aproveitar da linha de crédito emergencial anunciada pelo governo para pequenas e médias empresas, voltada para o pagamento de empregados que ganham até dois salários mínimos. Os juros de 3,75% ao para empresas com faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões é muito menor do que a taxa de juros praticada no mercado.

Outro empréstimos que pode ser aproveitado é a linha de financiamento para capital de giro anunciada pelo BNDES. O Banco oferta até R$ 5 bilhões para empresas com faturamento de até R$ 300 milhões ao ano. O prazo total para pagamento é de até 60 meses.

Por isso, escolha as melhores propostas e demonstre ao empresário a necessidade delas para a sobrevivência do negócio.

5. Fazer as melhores escolhas em questões trabalhistas

Em uma crise econômica, as decisões mais difíceis de um pequeno empresários são relacionadas às dispensas de empregados. Não só pela mudança na rotina de trabalho, mas pelo impacto social que o desemprego provoca em nossa sociedade. Infelizmente, esse é um sintoma evidente em crises como a atual.

Por isso, esse é também um dos desafios da contabilidade em tempos de crise. Mais uma vez, o contador fará o papel de psicólogo não só do empresário, mas indiretamente do empregado. Afinal, é o profissional que faz as contas empresariais que orientam para a diminuição do quadro de pessoal. E também o profissional que realiza o acerto trabalhista.

Mesmo com a linha de crédito do governo para pagamento de salários, nem sempre ela será suficiente. Nestes casos, a demissão pode ser a única saída. No entanto, o contador tem a função de avaliar outras possibilidades que surgiram com a Medida Provisória nº 927.

A norma trouxe novas regras trabalhistas que flexibilizam as relações de trabalho durante a crise. Adoção de home office, determinação de férias coletivas, antecipação de férias dos funcionários, uso de banco de horas para compensar períodos de isolamento e outras medidas podem ser adotadas.A Medida Provisória nº 936 trouxe ainda outras possibilidades, como redução na jornada de trabalho, suspensão de contratos, redução de salário etc. 

O papel da contabilidade em tempos de crise será fundamental para preservar empregos, pois raramente o empregador consegue compreender a fundo as novidades legislativas. Por isso, seja atuante e informe ao seu cliente as possibilidades existentes para manter a sustentabilidade do negócio.

6. Lidar com o contato distante

Por fim, outro grande desafio da contabilidade em tempos de crise é lidar com o contato distante em relação ao empresário. Quantas vezes falamos aqui que o trabalho efetivo do contador consultor só existe com a proximidade com o cliente? Várias! E isso significa visitar a empresa, entender sua realidade, suas demandas e suas aspirações.

Com a pandemia, essa presença real não é recomendada. E os profissionais que têm dificuldade em lidar com a tecnologia podem estar sofrendo bastante com a relação virtual. Mesmo assim, é um desafio que deve ser superado rapidamente, pois não há tempo para deixar o cliente sem orientação. As chamadas de vídeo podem amenizar essa sensação de distância. O importante é manter a relação o mais próxima possível.

A contabilidade em tempos de crise está associada diretamente à sobrevivência das empresas. É o cientista da riqueza que deve antever cenários adversos, ajustar as medidas administrativas e fazer com que a empresa se adapte à nova realidade. Mais do que cumprir obrigações legais, é a contabilidade quem trabalha pela saúde financeira.

Aproveite para se aprofundar e conhecer os 6 pilares da Contabilidade Consultiva!

Deixe um Comentário

>
>