Relatório contábil: 6 dicas para montar o seu escritório e encantar os clientes

Publicado por Brenda Flammo em

Relatório contábil: 6 dicas para montar o seu escritório e encantar os clientes

Fazer um bom relatório contábil é um passo importante para ganhar a atenção de seu cliente. Infelizmente, os contadores sofrem com a desvalorização de sua profissão exatamente porque os clientes não compreendem o valor deste trabalho. Afinal, o que um tanto de números juntos significam para o negócio? Existem inúmeras formas de elaborar um relatório contábil, mas muitos profissionais ainda se limitam aos modos tradicionais.

A consequência de fazer um documento cheio de números, que não comunica nada prático para o empresário, é a falta de credibilidade. O empreendedor verá o contador apenas como um burocrata. No entanto, a verdadeira Contabilidade é aquela em que ele é um parceiro do negócio, e é nisso que você deve pensar.

Considerando esse contexto, preparamos algumas dicas para você montar um relatório contábil impecável para encantar seus clientes. Vamos lá?

O que são relatórios contábeis?

O que são relatórios contábeis?

Um relatório contábil é um documento que descreve, de forma técnica, todas as informações colhidas pelo responsável pela contabilidade de certas empresas. Nesse registro, descreve-se valores de custos, despesas e tributos devidos ou pagos.

Cada estabelecimento, por pertencer a um tipo societário ou segmento, deve entregar seus relatórios contábeis na periodicidade definida. Em geral, tais documentos são feitos mensal, trimestral ou anualmente. 

Esse trabalho de coleta de informações e entrega de documentos contábeis à alta cúpula das empresas é minuciosa. Principalmente porque um relatório contábil tem papel fundamental para a gestão e tomada de decisão de um negócio.

Como os relatórios contábeis funcionam? 

Como os relatórios contábeis funcionam?

Dada sua tecnicidade, o relatório contábil deve ser feito por profissionais com experiência na área, especialmente contadores. Lucros, despesas, ativos, passivos, todas as informações contábeis do negócio integram esse documento, cujo principal objetivo é fundamentar as decisões da empresa.

Qualquer fato contábil realizado durante determinado período faz parte do relatório contábil. Basta um erro na coleta e/ou na interpretação dos dados para que a empresa tenha um prejuízo. Uma falha pode provocar uma decisão mal embasada ou um investimento mal aplicado, por exemplo. E isso é desastroso. 

Considerando isso, os relatórios contábeis são também mecanismos de controle das informações sobre as contas a pagar e receber. 

Qual a importância dos relatórios contábeis? 

Qual a importância dos relatórios contábeis?

Você já sabe que um relatório contábil é essencial para avaliar a saúde financeira da empresa. A importância deles, porém, extrapola essa função genérica. Ao reunir informações contábeis de forma organizada e confiável, o contador traz benefícios ao gestor do negócio em direção ao sucesso da empresa. Veja a seguir alguns deles.

Tomada de decisões fundamentada

O gestor de uma empresa é constantemente pressionado para obter bons resultados. Para tanto, ele escolhe profissionais capacitados para montar um equipe de trabalho produtiva, colaborativa e eficiente. Mas e na hora de tomar decisões? É preciso avaliar todo o trabalho realizado, especialmente os números do negócio.

É aqui que entra o relatório contábil. Quando o contador oferece um documento embasado, acessível e evidente, o gestor consegue compreender a interpretação dos dados financeiros e tomar as melhores decisões. Relatórios contábeis facilitam o entendimento da situação econômica da gestão. Dessa forma, o empreendedor pode escolher soluções em prol da produtividade e do crescimento da empresa.

Criação de estratégias mais eficientes

No mesmo sentido da tomada de decisões fundamentada, o relatório contábil também propicia a criação de estratégias mais eficientes. O documento traz dados reais e atualizados sobre a saúde financeira do negócio, identificando potencialidades e fragilidades do empreendimento. A partir dessa análise, o gestor pode criar novas estratégias para corrigir as falhas e aprimorar aquelas que estão dando bons resultados.

Acesso facilitado ao crédito

As instituições financeiras oferecem crédito a empreendedores mediante o atendimento de uma série de requisitos. Apesar de isso não acontecer com frequência, há um movimento para que os bancos solicitem os relatórios contábeis de pequenas e médias empresas antes de liberar pequenos empréstimos.

Os financiamentos de longo prazo fornecidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES), por exemplo, exigem grande rigor na saúde financeira dos estabelecimentos. E o crédito disponibilizado depende da análise de relatório contábil. 

Quais os tipos de relatório contábil? 

Quais os tipos de relatório contábil?

Podemos separar os relatórios contábeis em dois grandes grupos:

  • Relatórios obrigatórios (Demonstrações Financeiras): exigidos por lei. Balanço Patrimonial (BP), Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA), e Demonstração das Origens e Aplicações de Recurso (DOAR – apenas para Sociedades Anônimas).
  • Relatórios não obrigatórios: não são exigidos pela legislação, mas são importantes para as tomadas de decisão. Demonstrativo do Fluxo de Caixa (DFC – exigido para PMEs, sociedades de capital aberto ou com patrimônio líquido superior a R$ 2 milhões) e Demonstrativo do Valor Adicionado (DVA – obrigatório para companhias abertas).

Balanço Patrimonial (BP) 

O Balanço Patrimonial é um relatório contábil obrigatório que menciona bens, direitos, obrigações e contas patrimoniais. É uma das principais fontes de informações para a gestão financeira, pois exemplifica exatamente a posição financeira, patrimonial e econômica da empresa em determinado intervalo de tempo. Em geral, ele é anual.

No documento, lucros e despesas são divididos entre ativos e passivos. Isso facilita a observação, pelo gestor, da evolução e/ou variação da empresa de um ano para o outro. Exatamente por isso suas informações são tão valiosas para a tomada de decisões. Via de regra, a operação de forma positiva ocorre quando o ativo é maior do que o passivo. O contrário seria um sinal de alerta.

O Balanço Patrimonial permite a análise dos principais indicadores financeiros de um negócio, como margem de lucratividade, retorno sobre o investimento, índice de endividamento, liquidez corrente e imediata.

Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) 

Outro relatório contábil exigido por lei é a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE). O documento retrata todos os resultados operacionais do empreendimento, possibilitando a visualização de receitas, despesas, custos e tributos. O resultado do exercício positivo representa o lucro, ao passo que o resultado negativo significa prejuízo.

A DRE também é muito importante para a tomada de decisão, pois dá ao gestor indicadores essenciais, como margem líquida, retorno sobre vendas e ponto de equilíbrio. Por isso, esse relatório contábil é fundamental na hora de realizar um planejamento estratégico. O documento também é cobiçado pelos investidores, pois demonstra se a empresa está com lucros ou prejuízos em determinado período.

A periodicidade da DRE pode ser anual, para fins legais, mas trimestral para fins fiscais e mensal para fins administrativos. As empresas de capital aberto (S.A.) devem divulgá-la publicamente.

Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) 

Como foi aplicado o lucro líquido obtido pela empresa? O relatório contábil responsável por tal informação é a Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA), que mostra a destinação do resultado do exercício, esclarecendo o andamento da empresa durante o exercício social. De acordo com a Lei 6.404/76, a DLPA é obrigatória para empresas tributadas pelo regime do Lucro Real. 

Para demonstrar essas informações sobre aplicação do lucro líquido, a DLPA utiliza dados provenientes do BP e da DRE. Esse relatório contábil é muito importante, porque explica a situação patrimonial da empresa, evidenciando detalhes de alterações e movimentações dentro de um certo período. É, assim, fundamental para o bom controle financeiro. 

É esse demonstrativo que também possibilita ao gestor observar as variações do caixa, pontuando períodos em que houve mais lucro ou prejuízo e entendendo a extensão de crescimento do negócio. Há viabilidade econômica para expandir a empresa, comprar novos equipamentos ou contratar pessoal? A partir do DLPA, é possível saber isso.

Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (DOAR)

Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (DOAR) 

A Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos é um relatório contábil que mostra as variações ocorridas no patrimônio da empresa em determinado período. É uma demonstração obrigatória para as companhias abertas e fechadas com patrimônio líquido superior a R$ 1 milhão na data do balanço patrimonial.

As origens de recursos representam os financiamentos, ao passo que as aplicações de recursos representam os investimentos. Recursos não abrangem só dinheiro, mas também capital de giro líquido (Capital Circulante Líquido).

Demonstrativo do Fluxo de Caixa (DFC)

O DFC é um relatório contábil que demonstra todas as informações sobre entradas e saídas de recursos do caixa empresarial, bem como os resultados dessas transações. Os dados são separados por categorias, como atividades operacionais, atividades de investimento e atividades de financiamento. Esse demonstrativo analisa a capacidade da empresa em gerar saldo positivo em seu caixa durante um tempo determinado.

Cabe destacar que, apesar do nome, esse relatório contábil não traz somente informações da análise do fluxo de caixa. Ele engloba todas as outras contas da empresa, tais como aplicações de liquidez imediata e contas bancárias.

A partir desses dados, o gestor pode controlar o fluxo de caixa e traçar estratégias de redução de custos. 

A DFC é obrigatória para sociedades de capital aberto ou com patrimônio líquido superior a R$ 2 milhões (Lei nº 11.638/2007), bem como para Pequenas e Médias Empresas (NBC TG 1000). No entanto, por ser um documento de fundamental importância, é recomendável que qualquer empresa o elabore.

Demonstrativo do Valor Adicionado (DVA) 

O Demonstrativo do Valor Adicionado é um relatório contábil que detalha como o lucro gerado pela empresa em determinado período foi distribuído entre acionistas, funcionários, fornecedores, agentes financiadores e governo. Em suma, como foi distribuído entre os setores que participaram da sua geração.

O demonstrativo é obrigatório para empresas de capital aberto (Lei nº 11.638/2007) e costuma ser elaborado anualmente, junto com os demais relatórios contábeis.

Como criar um bom relatório contábil?

Como criar um bom relatório contábil?

Para criar um bom relatório contábil, o profissional deve ter em mãos a visibilidade dos dados pertinentes à saúde financeira da empresa. Além disso, deve adotar uma linguagem acessível ao destinatário mais importante desses documentos: o cliente. Veja algumas dicas para fazer um relatório contábil irresistível!

Tenha um bom software contábil

Reunir todas as informações patrimoniais, contábeis e financeiras de uma empresa é um enorme desafio. A desorganização é inimiga do contador, mas ela pode ser combatida com o uso de um bom software contábil. O objetivo da ferramenta é facilitar todo o trabalho de escrituração, uma vez que ela possui variações para cada relatório contábil e se integra com os outros setores para importação de dados.

Para obter sucesso com o uso do software e de qualquer inovação na contabilidade, porém, o profissional deve adotar práticas que trazem bons resultados. Dessa forma, conseguirá reunir todas as informações e dados financeiros da empresa com facilidade e evidência. Como consequência, facilitará o envio das informações para o responsável por elaborar o relatório contábil, além de auxiliar o gestor a tomar boas decisões e apresentar resultados. 

Trabalhe junto ao cliente

O gestor de um negócio precisa confiar no trabalho do contador, que o entregará uma série de documentos essenciais para a gestão. Para que isso ocorra, é preciso trabalhar junto. O profissional deve buscar o máximo de informações possível com o gestor para que, de forma colaborativa, montem um relatório contábil de qualidade.

Em inúmeras oportunidades, destacamos que o foco no cliente, prezando pela aproximação e atuando como um verdadeiro parceiro do negócio, é a verdadeira contabilidade. Hoje, chamamos essa parceria de sucesso de Contabilidade Consultiva. Não se esqueça disso.

Na Contabilidade Consultiva, o contador processa, calcula planeja e organiza os fatos contábeis da empresa. Ele entrega ao cliente uma tomada de decisão com base na Ciência da Riqueza. Na visão de Fernanda Rocha, a Contabilidade Consultiva é a contabilidade em sua essência. 

Veja nesse vídeo:

Elabore um plano de contas eficiente

Um ponto importantíssimo na hora de elaborar um relatório contábil eficiente é criar um bom plano de contas. Não adote a generalização, porque esse plano é a lista de todos os registros existentes na empresa. Ela deve respeitar a hierarquia dos produtos e subprodutos da gestão e explicitar a estrutura dos balanços e demonstrações. Se existe mais de um tipo de produto à venda, por exemplo, os lançamentos devem ser feitos separadamente.

Ao generalizar ocorrências, você abre mão de evidenciar a influência positiva ou negativa dos acontecimentos do empreendimento. O plano de contas detalhado e organizado ditará o nível de especificidade do seu relatório contábil.

Faça o provisionamento de todos os valores

O provisionamento de valores é uma prática indispensável para que o relatório contábil seja completa. Muitos profissionais não adotam essa prática, o que afeta a informação demonstrada no documento. Tenha em mente que valores em curto e longo prazo devem ser provisionados. Quando uma conta a receber não é provisionada, e o devedor apenas a quita parcialmente, o balancete não mostra isso. 

Com o provisionamento, todas as demonstrações acusam qualquer eventualidade e a sucessão correta de fatos. 

Utilize um centro de custo

A segmentação por centro de custo é uma prática pouco utilizada, especialmente em pequenas empresas, mas é fundamental para um relatório contábil evidente. Um negócio que tem uma variedade de produtos e serviços deve possuir um centro de custo, que nada mais é do que contabilidade receitas e despesas de acordo com a mercadoria ou solução geradora de cada valor gasto ou ganho.

Dessa forma, o gestor terá no relatório contábil uma ferramenta útil para gerenciar seu negócio e tomar decisões, porque a demonstração contábil será fiel à realidade da empresa. 

Adote uma linguagem acessível

A maior dificuldade do empresário quanto às informações contábeis é entendê-las. Isso é compreensível, porque o conhecimento técnico está com o contador, não com o gestor (na maioria dos casos). Por este motivo, um relatório contábil só será eficiente se ele contiver uma linguagem acessível ao cliente. E como isso é possível?

Em primeiro lugar, os números, por si só, podem não significar nada para o empresário. Então, cabe ao contador demonstrar, de forma inteligível, o que eles querem dizer. Para tanto, além da linguagem, é interessante utilizar dashboards e gráficos que retratam a atual situação da saúde financeira da empresa. Eles trazer um resumo dos resultados de forma compreensiva.

Aqui na Nucont auxiliamos o contador a desenvolver a Contabilidade Consultiva com seu cliente, pois oferecemos uma ferramenta completa e inovadora. Nela, dashboards e inteligência artificial se unem para que os serviços contábeis realmente sejam acessíveis ao cliente, pois as informações mais relevantes para a gestão empresarial estão escancaradas na frente dele. Entenda o futuro da contabilidade com a Nucont nesse vídeo:  

A partir de um relatório contábil com informações acessíveis, o contador traça também um plano de ação para o cliente. É, sem dúvidas, o serviço completo.

Quais são os próximos passos?

Quais são os próximos passos?

Para elaborar um relatório contábil irresistível e encantar seus clientes, você precisa falar a língua deles. O conhecimento técnico sobre os tipos de relatório contábil você já possui. Também conhece os benefícios que esses documentos podem trazer. Só falta colocar em prática nossas dicas para ser um verdadeiro parceiro do negócio e aplicar, de vez, a Contabilidade Consultiva.

Com a Nucont, você será capaz de apresentar relatórios bem fundamentados e específicos, de forma que seu cliente entenda exatamente como está a saúde financeira da empresa. A partir desses dados, ele tomará decisões corretas para o crescimento do negócio.Que tal conhecer a Universidade Nucont e ver como nós podemos ajudá-lo a se capacitar para oferecer os melhores serviços contábeis?

Categorias: Gestão Contábil

>