Contabilidade Consultiva

Guia definitivo para montar um planejamento financeiro para empresas

18 dez

O planejamento financeiro para empresas é uma ferramenta fundamental para concretizar suas ideias de negócio. Sem dinheiro em caixa, é impossível sobreviver. Um bom gestor sabe que o fôlego nas finanças é um modo de alcançar seus objetivos. É, assim, uma base para tudo que você deseja fazer.

Estratégias de marketing digital para você aplicar em seu escritório contábil

Neste kit, você encontrará métodos que te ajudarão a vender seus serviços contábeis. Desde o Marketing Digital (emails e redes sociais) até métodos de proposta!

E você, enquanto contador parceiro de negócios, é figura importante na hora montar um planejamento financeiro para empresas, seja em seu próprio empreendimento ou no de seus clientes. Pensando nisso, conceituamos o que é esse planejamento, a importância de um profissional de contabilidade nessa montagem e como fazer um planejamento financeiro para empresas.

Acompanhe!

O que é um planejamento financeiro? 

O que é um planejamento financeiro?

Planejamento financeiro para empresas é uma parte do plano de negócios que aponta as diretrizes rentabilizar sua ideia de empreendimento. Neste documento, o empresário estabelece as ferramentas de controle que garantem a saúde do caixa e o cumprimento das metas propostas, sejam elas de curto, médio ou longo prazos.

Não à toa, esse documento é indispensável. Sua importância remonta à própria existência do negócio. Quem não possui um planejamento bem definido, não é capaz de tomar decisões estratégicas no seu negócio. Afinal, a saúde financeira é o guia de despesas e investimentos, de crescimento e sucesso. Como analisar e aplicar investimentos no momento certo sem avaliar as projeções das finanças? Como revisar custos e identificar melhores oportunidades para otimizar as atividades sem ter visão sobre elas?

Nenhuma empresa, qualquer que seja seu tamanho e segmento de atuação, pode prescindir de um planejamento financeiro. Ele deve ser completo e realista, considerando micro e macro ambientes . E deve ser feito com o auxílio de um contador, que é o cientista da riqueza.

Qual a importância do contador se envolver no planejamento financeiro para empresas?

Qual a importância do contador se envolver no planejamento financeiro para empresas?

O empreendedor é responsável por muitos pontos de seu negócio. No entanto, sua capacidade para aprofundar nas questões é limitada, pois nem sempre detém conhecimento técnico sobre elas. Quando se fala de planejamento financeiro para empresas, isso é ainda mais complexo, porque poucos são os que entendem realmente de finanças.

A importância de ter auxílio de um contador neste momento é inestimável. Organizar o fluxo de caixa, criar mais capital de giro, pensar nos processos de contas a pagar e a receber são apenas algumas questões que esse profissional assumirá. No entanto, mais do que pensar nessas atividades mais burocráticas, é preciso interpretar os números para que eles se transformem em decisões assertivas que farão parte do planejamento financeiro para empresas.

Essa atuação de parceiro do negócio é chamada de Contabilidade Consultiva. Neste modelo, o contador se aproxima dos empresários, utilizando a ciência contábil para diagnosticar e cuidar da saúde das pequenas empresas, levando-as à riqueza e à prosperidade. E utilizar essa abordagem na hora de fazer o planejamento financeiro é um passo rumo ao sucesso do negócio.

Como o planejamento financeiro pode beneficiar a empresa?

Como o planejamento financeiro pode beneficiar a empresa?

Um bom planejamento financeiro para empresas traz muitos benefícios para o gestor. Listamos a seguir o que achamos mais importante:

  • Orçamento colaborativo: como integrar o orçamento dos diferentes setores de uma empresa? Cada uma deve justificar a necessidade dos valores e negociar com a diretoria sua aprovação. Mas com o planejamento financeiro, é possível avaliar melhor os micro-orçamentos por meio de um orçamento colaborativo. Dessa forma, todos compreendem o impacto de suas ações no resultado final do negócio;
  • Estruturação de pessoal: as pessoas devem ser o foco de qualquer empresa. As relações permeadas por elas (demissão, contratação, qualificação etc.) precisam integrar o planejamento financeiro. Com esse plano, é possível realizar ações de forma mais estruturada em relação ao pessoal;
  • Previsibilidade: uma das etapas do planejamento financeiro para empresas é simular diversos cenários e delimitar objetivos de curto, médio e longo prazo. Isso envolve pensar em um orçamento para diferentes possibilidades, o que diminui os riscos e aumenta a previsibilidade;
  • Gestão eficaz: um bom controle das finanças faz com que o gestor mantenha o negócio em funcionamento, com contas em dia e investimentos bem direcionados. Isso confere tranquilidade na hora de tomar as melhores decisões para gerir a sua empresa;
  • Redução de gastos: o planejamento dá ao gestor visibilidade sobre todos os dados financeiros da empresa. Com isso, é possível verificar os desperdícios, as possibilidades de revisão, e os gastos desnecessários que aumentam os custos empresariais.

Como criar o planejamento financeiro? 

Como criar o planejamento financeiro?

Na hora de criar um planejamento financeiro para empresas, os responsáveis devem ter um cuidado especial. Como dissemos, ele é muito importante para o negócio. O primeiro passo é escolher uma metodologia (análise SWOT, 5W2H, Ciclo PDCA etc.) ou utilizar a combinação delas, porque elas ajudam a definir ações estratégicas e a promover ajustes quando necessário.

A definição dessa metodologia guiará todos os seguintes passos, que pontuamos a seguir.

1. Situe-se: analise profundamente a situação da empresa 

Você sabe a atual situação da empresa? A estruturação de um planejamento financeiro empresarial depende da análise de seu real cenário. É preciso avaliar o tempo de mercado, delimitar condições, pontuar as questões positivas e negativas, pensar no tipo de produto ou serviço prestado, no público-alvo, na maneira de comunicação interna e externa. 

Em suma, é preciso destrinchar todas as características que compõem o perfil do negócio. Não se esqueça também de considerar o impacto dos fatores externos na empresa, como a situação econômica do país e outros pontos.

Para organizar e mapear todos os ativos e passivos, o balanço patrimonial e outros documentos financeiros, uma planilha ou um software pode ser de grande ajuda. Após ter uma visão global do negócio, você terá informações importantes para municiar o empreendedor a tomar decisões mais fundamentadas e se preparar para efetuar mudanças cabíveis.

2. Coloque as informações na planilha 

A tarefa de documentar todas as informações relevantes sobre a empresa é difícil. No entanto, é muito necessária para ter uma visão global e transparente sobre a atual situação do negócio. A planilha pode ser uma boa forma de organizar algumas informações antes de fazer o planejamento financeiro para empresas. O que deve ser incluído?

  • Planeje todo o gasto ao longo do período: inclua gastos recorrentes (salários, aluguel, fornecedores, energia etc.), gastos extraordinários (como manutenção) ou gastos que refletem novos investimentos que serão feitos para atingir os objetivos (abrir uma filial, adquirir novos equipamentos etc.);
  • Planeje seu faturamento: anotação de tudo que o empresário pretende ganhar ao longo de um período (um ano, em geral, dividido mês a mês);
  • Construa um plano de vendas: reflete fontes de receita, modelo de precificação, canais de distribuição, etc.;
  • Construa os demonstrativos contábeis para ter uma visão consolidada da situação financeira do ano;
  • Repasse os itens e defina prioridades.

3. Trabalhe com possibilidades distintas

Na hora de montar um planejamento financeiro para empresas, é importante trabalhar com diversas possibilidades, considerando contextos e ações diversas para alcançar os objetivos. O futuro é imprevisível, e se preparar para lidar com diferentes situações é a melhor forma de não ser pego desprevenido. 

Sabe a análise profunda sobre a situação do negócio? Ela te dá dados valiosos que fornecem segurança ao empresário na hora de mudanças e tomar decisões. Independentemente do momento. Projete seu ciclo operacional em ambientes possíveis, como crise, aumento de demanda e outros cenários otimistas, realistas e pessimistas.

Trace um plano de ação

4. Trace um plano de ação 

O plano de ação é um desdobramento do planejamento financeiro para empresas. As informações coletadas devem ser colocadas no papel, como apontamos, para que as estratégias sejam definidas. No seu plano de ação, você deve inicialmente definir os objetivos e mapear as as ações necessárias para alcançá-los.

Em seguida, crie um cronograma realista, dividindo tarefas de acordo com as responsabilidades e competências da sua equipe. Por fim, mensure resultados e documente suas ações para avaliá-las futuramente. Eventuais mudanças no segmento empresarial podem acarretar mudanças em seu plano. Mas você estará pronto para isso.

5. Faça a precificação correta do produto ou serviço

Uma medida muito importante na hora de fazer o planejamento financeiro para empresas é calcular o preço ideal de cada produto ou serviço do negócio. Para tanto, é preciso fazer um extenso estudo de mercado, além de uma boa análise de custo de produção, pró-labore dos sócios, expectativa de lucro, e outras despesas determinantes para o valor.

O preço estabelecido deve sustentar todos os gastos, fazendo com que a empresa cresça de forma sustentável. Se isso não ocorre, é preciso reavaliar e rever todos os processos utilizados. Estude uma forma de reduzir custos, promover mais entradas ou, caso necessário, aumentar o preço.

6. Utilize um software online 

Os softwares contábeis e empresariais são uma excelente ferramenta para realizar um bom planejamento. Eles auxiliam o gestor a manter os dados em ordem, controlar as finanças e outros pontos de gestão, e ter visibilidade sobre as informações na hora de tomar decisões e alcançar seus objetivos.

O controle do fluxo de trabalho pode ser feito de forma completa em uma única solução. As atividades de vendas, financeiro, estoque, emissão de notas e boletos estão todas no software. Além de otimizar o tempo do responsável, confere mais facilidade na hora de ver como anda sua empresa e seus resultados.

7. Registre e controle 

Registrar e controlar diariamente todos os aspectos financeiros para identificar possíveis sazonalidades, erros e acertos é uma tarefa chata. É pouco provável que o gestor tenha tempo de realizar essa atividade. No entanto, é uma das obrigações do contador, que deve fazer um controle rígido do setor financeiro. 

Isso o possibilita medir o retorno sobre o investimento (ROI). Com esse monitoramento, é possível tomar uma decisão mais rápida e eficiente diante de um eventual problema.

8. Proponha metas reais

Em um planejamento financeiro para empresas, é preciso ter metas bem estabelecidas para guiar o seu caminho rumo ao objetivo maior. O que você pensou para o futuro da empresa? Independentemente do objetivo final, você precisa de resultados positivos no caixa, o que só é alcançado com a uma implantação eficaz de meios de controle financeiro.

Na hora de estabelecer metas, pense em algo factível, real, dentro das possibilidades que a empresa apresenta. Aumentar o faturamento em 20% ou reduzir o custo fixo em 10% são duas metas possíveis. As equipes conseguem se motivar e se empenhar para objetivos reais, o que não acontece com metas impossíveis. Não adianta querer abrir filiais em 5 cidades ou elevar a participação no mercado em 40% se o cenário econômico não ajudar.

Coloque a estratégia em prática

9. Coloque a estratégia em prática 

Um dos últimos passos para montar um planejamento financeiro para empresas é colocar a estratégia em prática. Ter processos bem definidos é fundamental neste momento. E essa é uma grande dificuldade para os empreendedores de primeira viagem. Por isso, em primeiro lugar, comece treinando e qualificando sua equipe do projeto. 

A área de vendas conversa diretamente com o controle de estoque. Nenhuma falha deve alcançar o cliente, mas se esse processo interno for ineficiente, é possível perder vendas por falta de produto. Em todos os processos, o gestor deve ficar atento à execução da estratégia e às condutas das pessoas responsáveis.

Se você planejou ter lucro no mês e faturou bem, o gasto não pode ser maior do que o previsto. Alguma estratégia deu errado nesse meio tempo. Por isso, é preciso avaliar as estratégias. 

10. Avalie e qualifique

De tempos em tempos, os resultados alcançados e o planejamento financeiro para empresas devem ser reavaliados. Na situação anterior, imagine que o gasto tenha sido maior do que o previsto. A situação se repetirá enquanto o responsável não fizer controles mais ajustados. Não é preciso aguardar o encerramento do projeto para corrigir o que foi planejado. A análise começa já com os primeiros resultados práticos do seu planejamento, mediante comparação entre o que foi previsto e o que foi realizado.

Se a previsão de lucro se transformou em prejuízo, houve um erro. Identifique o local da falha e contorne o problema. O prazos de recebimentos dos clientes estão muito distantes da data de pagamento de fornecedores? Não ofereça tanto tempo de parcelamento. Esse pequeno fator interfere nos objetivos macro, como aumentar a participação no mercado ou crescer 15% no ano.

Sem avaliar e qualificar a estratégia, revendo processos e corrigindo falhas, é impossível ter resultados positivos com o planejamento financeiro para empresas.

11. Aplique os ajustes

Por fim, o planejamento financeiro para empresas termina com a aplicação dos ajustes, que devem ser feitos na medida em que o planejamento vai sendo reavaliado no contexto atual da empresa e com os resultados alcançados. Aperfeiçoe seu roteiro e descubra qual mudança realmente fará a diferença em seu planejamento. A meta de conquistar novos clientes e aumentar o faturamento funcionou? Ótimo. 

Tenha em mente que alguns ajustes podem ser preventivos, para evitar erros que comprometam a execução de outras tarefas. Já pensou que a ligeira alteração de preço de venda ligeiramente para cima pode corrigir a margem de lucro que caía perigosamente?

As mudanças corretivas, que reparam falhas que já afetam os resultados, também fazem parte dessa etapa final do planejamento financeiro para empresas. Sua estratégia para fidelizar clientes não deu resultado, então é preciso otimizar essa etapa da jornada de compra.

Corrigir é uma etapa constante, não tenha medo dela.

Próximos passos

Próximos passos

O planejamento financeiro para empresas é uma ferramenta importante para o sucesso do negócio. Para utilizá-la corretamente, é preciso ter auxílio de um profissional capacitado, que conhece a ciência da riqueza como poucos: o verdadeiro contador. Com a aplicação da Contabilidade Consultiva, você é capaz de fornecer dados valiosos para a gestão empresarial, o que resulta em tomadas de decisões que realmente fazer a diferença.Não conhece a Contabilidade Consultiva? Veja nosso curso que fala sobre essa metodologia!

Deixe um Comentário

  • […] É normal que, após escutar orientações do contador, o MEI fique cheio de dúvidas sobre seus processos financeiros e contábeis. Isso faz parte do seu processo de venda, porque ele é um cliente que poderá demandar novos serviços. E você deve demonstrar valor por meio da educação, como apontado inúmeras vezes em nossos textos de marketing contábil. Um dos pontos que pode ficar na cabeça do microempreendedor é o planejamento financeiro. […]

  • […] única certeza é que eles sabem os conceitos de fluxo de caixa, receitas e despesas, ativos e passivos, margem de contribuição, depreciação e muitos termos do […]

  • […] maiores procuram atendimento personalizado e sistema ERP completo, planejamento tributário, relatórios financeiros e outras atividades mais complicadas. Por fim, as grandes empresas precisam de uma atuação […]

  • […] a estratégia financeira, o contador irá trabalhar juntamente com o departamento financeiro, e ajudará a interligar as […]

  • >
    >