Planejamento Estratégico para a Contabilidade Consultiva

Publicado por Fernanda Rocha em

Tecnologia na Contabilidade

Como Preparar seu escritório contábil para aplicar a Contabilidade Consultiva

Todo mundo quer isso, mas não são todos os negócios contábeis que realmente conseguem fazer a transição de um modelo tradicional (focado em entregas de obrigações acessórias) para o modelo da Contabilidade Consultiva.

Você já sabe, mas não custa lembrar que a Contabilidade Consultiva não se trata apenas de usar as informações contábeis para os empresários tomarem decisões.

Caso ainda restam dúvidas sobre isso, eu escrevi uma série de artigos sobre os 6 Pilares da Contabilidade Consultiva para te dar uma visão mais ampla sobre o tema.

O fato é que para que as empresas e os seus contadores possam, verdadeiramente, caminhar juntos rumo à prosperidade, é preciso fazer alguns ajustes na forma com que você, contador, se relaciona com seus clientes.

Por isso que:

Planejar o seu negócio contábil para receber e aplicar a Contabilidade Consultiva é fundamental para que você tenha tempo e condições favoráveis para estar onde você mais precisa estar: ao lado do seu cliente.

1. Diagnóstico Atual do seu Escritório Contábil

Quatro são os pilares que sustentam qualquer modelo de negócios contábil:

  1. Vendas
  2. Gestão de equipe e processos
  3. Entrega dos serviços e relacionamento com o cliente
  4. Planejamento estratégico

Sob o aspecto da Contabilidade Consultiva, é preciso entender qual é a realidade atual do seu escritório contábil para que possamos focar os esforços naquele pilar que está mais enfraquecido.

Por isso, desenvolvemos uma auto-avaliação para que você preencha e entenda quais são seus principais pontos de atenção.

Para baixar a auto-avaliação, clique aqui.

Ciclo atual de um escritório contábil

Na Contabilidade Consultiva, o pilar de VENDAS é formatado para ser totalmente personalizado e consultivo, com o objetivo da sua proposta de serviços contábeis se tornar um PLANO DE AÇÃO para resolver os problemas identificados no diagnóstico da empresa.

Já em GESTÃO DE EQUIPE E PROCESSOS, o foco é muito mais na sua forma de liderança e sua capacidade de influenciar e inspirar sua equipe para aplicar processos com o olhar 100% voltado para o cliente.

Na ENTREGA DOS SERVIÇOS E RELACIONAMENTO COM O CLIENTE, precisamos prezar pelo seu verdadeiro papel de utilizar a ciência contábil e o método científico para ajudar as empresas a serem mais prósperas.

Relacionar bem com o cliente vai muito mais além do que fazer um bom atendimento. O relacionamento próximo com as empresas está intrinsecamente ligado a sua capacidade de gerar ROI para seu cliente através do seu trabalho.

Mas nenhum dos pilares irá se fortalecer sem a ajuda do PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO para que seja possível identificar o status atual, planejar e mensurar os resultados almejados.

Ciclo Ideal esperado após a aplicação da Contabilidade Consultiva

2. Planejamento Estratégico por meio de OKRs

Quando se fala em Planejamento Estratégico, logo lembramos daquelas planilhas gigantes, métodos e ferramentas infinitas que projetam o futuro para os próximos 5 anos.

Bem, isso já deu muito certo no século passado, quando as mudanças eram mais lineares e existia mais previsibilidade sobre o que estaria por vir.

Hoje, com a velocidade das mudanças, projetar os próximos 12 meses já pode ser um tiro no pé pela quantidade de erros nas previsões.

Sendo assim, dar flexibilidade ao planejamento, e assim pensar nos próximos 3 meses ao invés dos próximos 12, te dará a velocidade necessária para agir diante das mudanças do mercado, sem ficar engessado.

Para isso, o OKR é lindo!

OKR (Objective and Key Result) é uma metodologia de planejamento ágil desenvolvida pelo Google e aplicável a qualquer tamanho de negócio.

Os OKR’s podem ser utilizados inclusive para estabelecer metas pessoais.

Sua grande popularidade se dá pela forma simples de estabelecer objetivos para serem alcançados (O) e meios de mensurar o atingimento (ou não) desses objetivos (KRs).

Não vou me ater à teoria do OKR, até porque existe no mercado uma gama imensa de artigos, livros e vídeos sobre o assunto.

Meu foco aqui será estabelecer exemplos de OKR’s aplicáveis a um escritório de contabilidade.

Então, de forma prática, vou te mostrar como estabelecer o OKR geral do seu escritório contábil e os OKRs de cada área: contábil, fiscal e DP.

2.1 Estabelecendo o OBJETIVO

O OBJETIVO (o “O” do OKR) precisa estar alinhado com o propósito da empresa. Estabelecer um objetivo sem um contexto ou motivo prévio pode não fazer muito sentido.

E por estar envolvido diretamente com um propósito, o Objetivo tem que ser emocionante, impactante, transformador!

As pessoas precisam olhar pro seu Objetivo e se sentirem tocadas e motivadas para tornar aquilo possível!

Para estabelecer o OBJETIVO GERAL do seu escritório contábil, tente responder a seguinte pergunta:

Qual mudança/impacto/transformação nós queremos trazer para o mundo/sociedade/empresas/clientes/funcionários?

Esse objetivo não precisa ser único e darei aqui alguns exemplos.

No caso do Nucont, por exemplo, os objetivos gerais são três: o primeiro voltado para os RESULTADOS (crescimento da empresa), o segundo direcionado para a EQUIPE e o terceiro focado no MERCADO.

Os objetivos gerais direcionam o alinhamento de objetivos de todas as outras áreas. A área de vendas, marketing, sucesso do cliente, etc., tem OKR’s definidos para os mesmos temas (resultados, equipe e mercado).

Todos os OKRs do Nucont foram definidos para o 1º trimestre/2020. Isso significa que a partir de abril, os objetivos já serão outros, dado o dinamismo que vivemos.

Não vou reproduzir os OKRs do Nucont aqui, porque quero trazer os específicos de um negócio contábil, como já disse.

2.2 Aprendendo a mensurar os KRs (resultados-chave)

Os KRs existem para você definir COMO os objetivos serão atingidos, ou seja, quais indicadores você irá acompanhar para concluir se o objetivo está ou não próximo de ser conquistado.

Podemos ter vários KRs para um mesmo objetivo, mas recomendo utilizar no máximo três, porque medir e acompanhar indicadores em excesso pode mais atrapalhar do que ajudar.

Na hora de definir um KR, é importante observar que ele precisa ser:

  • Mensurável e quantitativo, ou seja, utilizar números objetivos (por exemplo: contratos fechados = 5/mês)
  • Atingível dentro do prazo estipulado (ter 100% da contabilidade em dia em um mês de trabalho é possível? É plausível?);
  • Definido junto com o time;
  • Específico e claro de ser entendido por qualquer um (por exemplo: “garantir a satisfação dos clientes” é muito abrangente, porque a definição de satisfação é intangível e relativa).

2.3 Exemplos de OKRs de uma empresa contábil

Esses são os OKRs gerais da “Contabilidade Inovadora”.

OKRs GERAIS

OKRs GERAIS da Contabilidade Inovadora

Observe que os OBJETIVOS começam sempre com “nós vamos…”. Isso é interessante porque envolve todo o time e passa a ser uma missão a ser defendida por todos na empresa.

Nesse escritório contábil, os objetivos gerais também foram segregados em três segmentos: clientes, crescimento interno e equipe.

Mas nada impede que você crie objetivos apenas focado no relacionamento com o cliente, por exemplo. Tudo vai depender de qual está sendo sua maior dor, identificada lá na etapa de Diagnóstico Atual.

Os OKRs desse escritório foram definidos para o trimestre e serão revistos e redefinidos ao final dele. Isso não quer dizer que todos os objetivos deixarão de existir e serão substituídos por outros.

Os objetivos poderão permanecer os mesmos, mudando apenas os KRs, por exemplo.

Por falar em KRs, note que os estabelecidos pela Contabilidade Inovadora obedecem aos critérios que descrevi acima. São mensuráveis e claramente cumprem com o objetivo.

A seguir, vou apresentar os OKRs específicos de cada departamento do escritório contábil.

OKRs do DEPARTAMENTO CONTÁBIL

OKRs do Departamento Contábil da Contabilidade Inovadora

OKRs do DEPARTAMENTO FISCAL

OKRs do Departamento Fiscal da Contabilidade Moderna

OKRs do DEPARTAMENTO PESSOAL

OKRs do Departamento Pessoal da Contabilidade Moderna

OKRs do DEPARTAMENTO COMERCIAL

OKRs do Departamento Comercial da Contabilidade Moderna

2.4 Fiz meus OKRs. E agora?

Sei que pode parecer óbvio isso, mas o óbvio precisa ser dito:

Depois de estabelecer os OKRs, você precisa colocar a mão na massa!

Não adianta fazer um quadro de OKRs, emoldurar e pregar na parede. É preciso criar ritos de acompanhamento dos resultados e de engajamento da equipe.

Por isso, estabelecer uma cultura interna no seu escritório contábil é parte essencial para o cumprimento e atingimento dos objetivos.

No próximo artigo, falarei exatamente sobre como estabelecer itens da cultura que vão de acordo com os objetivos estabelecidos e ritos de gestão para você e sua equipe se manter engajada em cumpri-los!

Até lá!

Um abraço,

Fernanda Rocha

>