13 indicadores financeiros para empresas que você precisa acompanhar

Publicado por Brenda Flammo em

13 indicadores financeiros para empresas que você precisa acompanhar

Você possui uma boa estratégia para mensurar os resultados operacionais do escritório de contabilidade? Provavelmente sim. E eles também devem ser utilizados no seu trabalho com os clientes. Os indicadores financeiros para empresas são ferramentas importantes para tal análise. Afinal, compreender os demonstrativos financeiros é essencial para a avaliação do desempenho corporativo. Seu cliente quer investir para crescer, mas de forma saudável. Acompanhar cada ponto da sua saúde financeira é, assim, muito importante.

E é por isso que fizemos um texto completo sobre indicadores financeiros para empresas. Entenda seu conceito, a importância de acompanhá-los e quais são os 13 indicadores que você precisa conhecer para acompanhar adequadamente a gestão dos recursos.

O que são os indicadores financeiros para empresas? 

O que são os indicadores financeiros para empresas?

Indicadores financeiros para empresas são métricas que fornecem informações auxiliares à análise da performance organizacional. Eles são oriundos de dados obtidos nos demonstrativos de resultados do negócio e são fundamentais para a tomada de decisão. De forma simples, existem para passar ao gestor todas as informações que ele precisa saber para conduzir o negócio de maneira eficiente. 

Os indicadores financeiros para empresas podem ser separados em 5 categorias:

  • Indicadores de liquidez: avaliam a capacidade de cumprimento das obrigações a curto prazo;
  • Indicadores de estrutura de capital e endividamento: avalia o nível de dívida a longo prazo utilizado para gerar lucro;
  • Indicadores de lucratividade e rentabilidade: mensuram o lucro da empresa em relação ao patrimônio;
  • Indicadores de valor de mercado: avaliam o valor da empresa em função do preço da ação;
  • Indicadores de atividade: servem para medir o período de conversão das contas em vendas ou entradas e saídas de caixa.

Métricas de vaidade

Você pode estar pensando na utilidade dos indicadores financeiros para empresas, certo? De fato, são muito importantes, como demonstraremos a seguir. Mas um ponto merece bastante atenção: as métricas de vaidade. Existem informações coletadas e acompanhadas por profissionais que não ajudam a tomar nenhuma decisão. Em outras palavras, elas não ditam a saúde do seu escritório de contabilidade ou da empresa de seu cliente.

Imagine que você possui uma estratégia de marketing digital bem planejada. Suas curtidas e os compartilhamentos de um conteúdo estão altos? Nem sempre isso significa um bom desempenho. Certamente, servem para inflar o ego (daí o nome métrica de vaidade), pois passam a impressão de melhoria.

No entanto, em boa parte dos casos, elas não são úteis e não se relacionam a algo que você possa controlar ou repetir de maneira significativa. E qualquer métrica pode se encaixar nesse termo se não houver uma análise de qualidade. Um indicador pode passar uma boa impressão, mas sem ter importância relevante para os resultados do negócio. Para evitar essa vaidade, pense sempre se o indicador ajudará você a tomar decisões e se ele reflete a realidade.

Qual a importância de acompanhar os indicadores financeiros? 

Qual a importância de acompanhar os indicadores financeiros?

Um navio sem direção tem grandes chances de naufragar, certo? Uma empresa que não analisa os indicadores financeiros também. Atitudes equivocadas possuem consequências terríveis para o orçamento. Por isso, se você deseja evitar essas situações, utilize indicadores financeiros para empresas dos seus clientes de modo a auxiliá-los no acompanhamento de tudo o que acontece naquele negócio.

As vantagens de se trabalhar com indicadores financeiros são inúmeras, mas destacamos 4:

  • Desenvolve uma atitude preventiva quanto às mudanças que devem ser implementadas, diminuindo os riscos;
  • Melhor direcionamento no sentido de atingir os objetivos e definir estratégias da empresa;
  • Rotina de melhora contínua, com resultados positivos e diferencial competitivo;
  • Possibilita um conhecimento prévio da atual situação financeira do negócio;

O uso de indicadores financeiros para empresas, em suma, amplia o campo de visão sobre o negócio, o que permite ao gestor ter atitudes mais precisas. Mas como tornar a análise dos indicadores financeiros para empresas útil para a instituição? Com estratégias. A importância do uso desses indicadores depende de uma avaliação do planejamento estratégico do negócio. O que você precisa neste momento? A partir dessa resposta, você conseguirá identificar os indicadores mais úteis.

Além disso, precisará escolher um modo de acompanhar os dados, como o uso de relatórios financeiros. Defina um período de avaliação para cada indicador para acompanhar as métricas. Após obter os resultados, deverá interpretar as informações obtidas para entender como eles impactam no negócio de seu cliente.

Entendendo o funcionamento, a importância e o conceito dos indicadores financeiros para empresas, você já pode conhecer os principais.

Quais são os indicadores financeiros para empresas que você precisa acompanhar 

Quais são os indicadores financeiros para empresas que você precisa acompanhar

Existem vários indicadores financeiros para empresas. Dentre tantos, existem opções que precisam ser analisadas independente do segmento de atuação. Veja alguns indicadores que você não pode deixar de acompanhar.

1. Retorno Sobre o Ativo (ROA)

Um dos indicadores financeiros para empresas para ficar de olho é o Retorno Sobre o Ativo. Ele apresenta como a empresa é rentável em relação ao seu total de ativos. Seu escritório é eficiente ao utilizar ativos para gerar ganhos? É essa capacidade que o ROA mede. Seu cálculo é simples:

ROA = Lucro Operacional / Ativo Total Médio

O Lucro Operacional é encontrado no Demonstrativo do Resultado de Exercício (DRE). Já o valor do Ativo Total Médio é encontrado no Balanço Patrimonial. 

2. Retorno Sobre o Investimento (ROI)

O Retorno Sobre o Investimento é um dos indicadores financeiros para empresas mais conhecidos, pois retrata o quanto você ganha ou perde com seus investimentos. Além de demonstrar o potencial de geração de lucros, revela quanto a empresa obteve de lucro líquido para cada real investido (oriundo de capital próprio ou de terceiros). Seu cálculo é:

ROI = (Ganho Conquistado – Investimento Inicial) / Investimento Inicial

3. Retorno sobre o Patrimônio (ROE) 

Retorno sobre o Patrimônio mede a capacidade do negócio do cliente em agregar valor a ele mesma com seus próprios recursos. Por isso, os acionistas ficam de olho nesse indicador, que demonstra a taxa de rentabilidade obtida pelo capital próprio investido na empresa, revelando quanto ela ganhou de Lucro Líquido para cada real de capital próprio investido. Seu cálculo é:

ROE = (Lucro Líquido / Patrimônio Líquido) x 100

4. Margem operacional 

Outro indicador financeiro conhecido é a margem operacional. É o valor restante no orçamento após abater todas as despesas operacionais (inclusive a diferença entre as receitas e despesas financeiras), menos o imposto de renda. Seu cálculo é:

Margem Operacional = (Lucro Operacional / Receita de Vendas) x 100

EBITDA

5. EBITDA

EBITDA (Earning Before Interests, Taxes, Depreciation and Amortization ) é também chamada de LAJIR (Lucro Antes de Juros e Imposto de Renda). É um dos indicadores financeiros para empresas importantes para o impacto das vendas no caixa.

Ele representa a quantidade de geração operacional em caixa de uma empresa. Quanto o negócio do seu cliente gera de lucro (ou prejuízo) em suas atividades operacionais, desconsiderando os efeitos financeiros e o pagamento de tributos? É esse indicador que dá essa resposta.

Para definir a EBITDA, é preciso construir um demonstrativo. No entanto, sua fórmula simplificada seria: 

EBITDA = Lucro Operacional Líquido + Depreciação + Amortização

6. Margem líquida 

A margem líquida é um indicador que aponta o lucro líquido para cada unidade de venda do negócio do seu cliente. É o valor que restou da venda após a dedução de todas as despesas, incluindo o imposto de renda. Quanto maior a margem líquida, maior a sobra da empresa após receber vendas e retirar as taxas e deduções.

Ela pode ser calculada por meio do lucro líquido dividido pela receita líquida de vendas. Sua fórmula seria, então:

Margem Líquida = (Lucro Líquido / Vendas) x 100

7. Participação de Capital de Terceiros 

Esse é um dos indicadores financeiros para empresas que demonstra a dependência do negócio do seu cliente em relação aos recursos externos. Em outras palavras, indica o percentual do capital de terceiros em relação ao patrimônio líquido. Ele pontua a política de obtenção de recursos da empresa: seu ativo é financiado com recursos próprios (patrimônio líquido) ou de terceiros (passivo circulante somado com passivo não circulante)? Em qual proporção?

O indicador Participação de Capital de Terceiros é um dos tipos de Indicadores de Endividamento, também chamados de indicadores de Estrutura de Capital. Eles servem para demonstrar a situação financeira da empresa, como os índices de liquidez, mas também devem ser analisados em comparação às médias das empresas do segmento.

O cálculo é o seguinte:

Participação de Capital de Terceiros = (Passivo Circulante + Passivo Não Circulante) / Patrimônio Líquido

8. Índice de Endividamento Geral

O Índice de Endividamento Geral identifica o comprometimento dos ativos de uma empresa para financiar o capital de terceiros. O cálculo se baseia no balanço empresarial, que se divide em ativo (direitos) e passivo (obrigações) de curto (ano corrente) e de longo prazo (exercícios seguintes).

Para o cálculo do EG, é preciso pegar o total de capital de terceiros (composto pelos passivos de curto e de longo prazo) e dividi-lo pelo total de ativos empresariais. O valor percentual é encontrado pela multiplicação do resultado por 100.

Quanto menor o índice, menor a dependência do negócio do capital de terceiros. Em outras palavras, melhor sua saúde financeira. Porém, é importante destacar que o resultado do indicador deve ser cruzado com sua capacidade de pagamento. E, sem dúvidas, a análise dos números deve ser feito dentro de um contexto. Por exemplo, se seu cliente e todos os seus concorrentes possuem um alto EG, ele não significa necessariamente uma desvantagem da empresa.

Sua fórmula seria:

EG = (Capital de Terceiros / Ativos) x 100

Para conhecer melhor os índices de endividamento da empresa, você pode acessar um ótimo texto do Jornal Contábil. Veja aqui!

Índice de Cobertura de Juros (ICJ)

9. Índice de Cobertura de Juros (ICJ) 

Imagine que a empresa do seu cliente possua dívidas e empréstimos, o que é normal para muitos empreendedores no início do negócio. Essas operações não podem ficar “soltas”. Por isso, você deve utilizar um dos indicadores financeiros para empresas eficientes para analisar os resultados: o Índice de Cobertura de Juros.

O indicador mostra o quanto aquele negócio é capaz de saldar os juros contratuais de seus empréstimos e suas dívidas sem gerar comprometimento no valor gerado em caixa. Com ele, você terá uma ideia melhor sobre a influência dos juros na empresa, podendo traçar estratégias para diminuir o impacto deles no caixa.

Uma das fórmulas utilizadas para calcular o índice de cobertura de juros é utilizar o valor do lucro antes do pagamento dos juros e impostos (EBITDA) e dividi-lo pelas despesas financeiras brutas. Seria assim:

Índice de Cobertura de Juros = (Lucro Antes dos Juros e Imposto de Renda – LAJIR ou EBITDA) / (Despesas Com Juros durante o Ano)

10. Capital de Giro Líquido (CGL)

O capital de giro líquido é um dos indicadores financeiros para empresas que avaliam a liquidez. Ele mostra a condição do negócio do seu cliente de saldar as dívidas, avaliando também sua estrutura de endividamento. Em outras palavras, é sua folga financeira, aquele recurso disponível (voltado para as oscilações do mercado) que permite a empresa funcionar e rodar seus estoques.

O cálculo é feito da seguinte forma:

Capital de Giro Líquido = Ativo Circulante – Passivo Circulante

11. Liquidez corrente (ILC) 

A liquidez corrente é um indicador que demonstra o valor monetário que a empresa tem para receber a curto prazo, considerando também o montante que precisa pagar no mesmo período de tempo.

Em outras palavras, indica as condições que seu negócio possui de cumprir suas obrigações em um curto prazo. O cálculo é feito a partir da divisão entre o ativo circulante pelo passivo circulante. Veja sua fórmula:

Liquidez Corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante

A análise a partir do resultado obtido pode mostrar ao gestor diversas situações da empresa. Quando o resultado for maior do que 1, existe capital disponível para uma possível liquidação das obrigações. Se for igual a 1, os direitos e obrigações a curto prazo se equivalem. Por fim, se o resultado for menor do que 1, sua empresa não possui capital disponível suficiente para quitar as obrigações a curto prazo, caso fosse preciso.

Esse é um dos indicadores financeiros para empresas muito importantes em qualquer segmento.

Índice de Liquidez Seco (ILS)

12. Índice de Liquidez Seco (ILS) 

Índice de liquidez seco se assemelha ao índice de liquidez corrente, mas desconsidera os estoques da empresa. Sua fórmula seria:

Índice de Liquidez Seca = Ativo Circulante Líquido / Passivo Circulante

Se o índice de liquidez seco for baixo, pode haver um indício de que seu volume de estoques está relativamente elevado. Isso demandaria mais capital de giro. Nas empresas industriais, por exemplo, a sugestão é que este indicador seja superior a 0,70. Já no caso de empresas comerciais, a sugestão é estar próximo de 0,50, desde que a LC seja maior que 1,0.

13. Giro de Caixa

O giro de caixa é um indicador de atividade. Ele mede o montante de recursos financeiros proveniente das vendas do negócio do seu cliente que é utilizado de maneira rápida para financiar suas atividades. Em geral, um giro de caixa alto indica uma liquidez corrente baixa da empresa.

Quantas vezes o dinheiro do caixa é utilizado para financiar atividades em determinado período de tempo? Para calcular o ciclo do capital, é preciso primeiramente encontrar o ciclo financeiro (CCC). O CCC é o prazo, em dias, que os recursos da empresa levam para se transformarem em dinheiro.

Seu cálculo é:

CCC = Prazo médio de estoque + prazo médio para receber vendas – prazo médio para pagar fornecedores

A partir desses dados, o cálculo do giro de caixa (GC) se torna mais simples:

GC = número de dias no ano (365) / CCC

Como otimizar a gestão dos indicadores financeiros para empresas?

Como otimizar a gestão dos indicadores financeiros para empresas?

Diversos indicadores financeiros para empresas auxiliam diretamente na gestão de um negócio. Considerando que seu cliente possui um planejamento estratégico constantemente avaliado, o primeiro passo é escolher os indicadores financeiros que serão utilizados e capacitar a equipe responsável pela elaboração e análise dos indicadores.

Em seguida, siga alguns passos simples para otimizar a gestão dos indicadores financeiros para empresas:

  1. Determine o acompanhamento (mensal, bimestral, trimestral) dos indicadores;
  2. Faça a interpretação dos resultados junto à sua equipe;
  3. Apresente os resultados com os líderes do negócio para discutir as melhores decisões a serem tomadas (corretivas ou potencializadoras da empresa);
  4. Conecte tais indicadores aos outros setores da empresa;
  5. Crie planos de ação para potencializar os números;
  6. Adote uma solução para monitorar dados em tempo real;
  7. Interligue os indicadores financeiros e não financeiros, acompanhando seu cliente por meio de um trabalho em conjunto com toda a empresa.

Perceba que o uso de indicadores financeiros para empresas não é uma tarefa fácil. Um contador de verdade, porém, sabe que essa atividade é crucial para a saúde financeira do negócio de seu cliente. Se você deseja ser um parceiro daquela empresa, aplicando a Contabilidade Consultiva, entende a importância dessa atividade.

A apresentação dos resultados, por exemplo, é determinante na tomada de decisões. Por isso, você deve ter relatórios acessíveis, que falem a linguagem do cliente, e não a sua. A Nucont nasceu exatamente para isso. Com dashboards, gráficos e inteligência, fazemos a ponte entre a informação contábil e o cliente, de modo que ele veja valor no seu trabalho. O contador que é um verdadeiro parceiro do negócio é sempre valorizado!

Quais são os próximos passos?

Quais são os próximos passos?

Os indicadores financeiros para empresas são métricas que influenciam diretamente no sucesso de um empreendimento. Dentre seus diversos tipos, avaliam liquidez, investimentos, capital de terceiros e muito mais. Mas tome muito cuidado com as métricas da vaidade! Só uma boa análise, feita por um contador adepto à Contabilidade Consultiva, pode fazer a diferença na vida de um cliente. Quer aprender mais sobre a metodologia da Contabilidade Consultiva? Conheça nosso curso disponível na Universidade Nucont!

Categorias: Gestão Contábil

>