Como e Porque Calcular o Capital de Giro da Sua Empresa?

Publicado por Karol em

nucont dashboard

No segundo artigo da nossa trilogia, aprendemos a calcular o Ciclo Operacional (CO) e o Ciclo Financeiro (CF) de uma empresa. Vimos também que o Ciclo Operacional interfere na tendência do Ciclo Financeiro. Esse último, por sua vez, afeta diretamente a Necessidade de Capital de Giro da organização.

Tendo isso em mente, vamos analisar hoje o Capital de Giro e a Necessidade de Capital de Giro para completarmos a nossa sequência de indicadores para análise da sustentabilidade operacional de empresas.

1. Prazos Médios

2. Ciclo Financeiro e Operacional

3. Capital de Giro e Necessidade de Capital de Giro

Capital de Giro (CDG)

Capital de Giro são os valores que a empresa dispõe para utilizar na sua atividade, para fazer seus negócios girarem.

Esses recursos são gerados pelos próprios Lucros Acumulados que a empresa tem ao longo da sua existência e a partir de financiamentos de longo prazo. Onde obtém recursos disponíveis no curto prazo (caixa, por exemplo), para honrar com obrigações da operação e com um período grande para poder ser pago.
Tais recursos são utilizados para manutenção dos estoques, pagamento de fornecedores, salários, impostos e demais demandas da operação da empresa (custos e despesas operacionais).

CDG = (Passivo Não Circulante +Patrimônio Líquido) + Lucro Líquido - Ativo Não Circulante

É possível a minha empresa se desenvolver com Capital de Giro negativo???
É possível sim!

A empresa ter Capital de Giro negativo significa que ela financia parte de seu ativo não circulante com fundos de curto prazo.
O que gera um maior risco de insolvência.
Porém, ela pode sim se desenvolver dentro dessas condições.
Desde que a Necessidade de Capital de Giro também seja negativa e menor que o Capital de Giro.

Necessidade de Capital de Giro (NCG)

Como visto no exemplo anterior, esses indicadores geram uma análise muito mais completa da realidade da empresa quando observados em conjunto.

A Necessidade de Capital de Giro é o quanto desses recursos de fato a empresa necessita dispor para manter suas operações funcionando.

Essa análise conjunta mostra se a empresa precisa buscar recursos em fontes externas. Ou se há aportes internos suficientes para sustentar as suas atividades. Dando um bom direcionamento na tomada dessa decisão.

NCG = Ativo Operacional – Passivo Operacional

Como posso agir na minha empresa para diminuir a Necessidade de Capital de Giro???
Como já foi comentado no artigo anterior, o tamanho do Ciclo Financeiro conversa muito bem com a Necessidade de Capital de Giro. De maneira que quanto maior o Ciclo Financeiro, por mais tempo as operações precisam ser financiadas, portanto, maior a NCG.

O que indica que uma maneira de diminuir essa necessidade de recursos é trabalhando na gestão dos seus prazos.
Reduzindo os prazos de clientes, melhorando a relação de prazos com fornecedores e avaliando o custo e a duração da mercadoria no seu estoque.

Já calculei o meu Capital de Giro e a Necessidade de Capital de Giro, e agora?

Agora empresário, você tem a faca e o queijo na mão para saber se a sua empresa é sustentável ou não!

A partir de uma simples conta de subtração (Capital de Giro – N. de Capital de Giro) você encontra o seu Saldo de Tesouraria.

Esse indicador mostra para você se a sua empresa tem disponível os recursos que ela precisa para manter suas operações (CDG > NCG = Saldo de Tesouraria POSITIVO). Ou se ela se encontra em uma situação perigosa que nós chamamos de Efeito Tesoura (CDG < NCG = Saldo de Tesouraria NEGATIVO).
Uma empresa com Saldo de Tesouraria negativo corre um grande risco.
Uma vez que será obrigada a utilizar de toda a sua disponibilidade financeira para financiar as suas operações em andamento.
Nesse momento, as empresas acabam resgatando suas aplicações, injetando dinheiro dos próprios sócios e se aproximando de uma realidade de insolvência.

O que aprendemos?

Finalizamos então a nossa trilogia de artigos.

Agora você tem em mãos um grande conjunto de dados que podem ser usados como ferramentas de análise da realidade da sua empresa. Seja a partir dos Prazos Médios, dos Ciclos da sua organização e do Capital de Giro e Necessidade de Capital de Giro efetivos da sua empresa. Suas decisões serão mais coerentes com a real situação da sua empresa e baseadas em informações mais sólidas sobre a operação.

Esperamos muitos SUCESSOS para vocês em seus empreendimentos! Estaremos sempre buscando ajudar cada vez mais na gestão dos seus negócios!

Até breve!

Matheus Vilas Boas
Costumer Success do Nucont.


Karol

Copywriter da Nucont, estudante de moda, apaixonada por Contabilidade Consultiva e na luta contra a chatice!

>