Contabilidade Consultiva

6º PILAR: TECNOLOGIA ACESSÍVEL

13 abr

Robôs vão substituir os contadores? ÓBVIO QUE VÃO. A tecnologia está aí para substituir todo trabalho que se feito por um humano seria mais lento, mais caro e com maior chance de erro.

É muito pretensioso dizer que contadores jamais seriam substituídos por conta da alta complexidade tributária no Brasil ou porque são capazes de fazer análises que ninguém mais faz.

Com relação à complexidade tributária, é evidente que o processo de automatização de todas essas lógicas é mais demorado do que em países normais, mas essa automação já vem acontecendo há anos, seja pela própria Receita Federal, seja por empresas de software e tecnologia.

Já as análises das demonstrações contábeis e outros relatórios financeiros, isso só o contador é capaz de fazer, certo? Não é bem assim.

Lopes de Sá diz o seguinte, “Nós podemos através das informações que obtemos imaginar qual vai ser o progresso de uma empresa, o que ela tem de errado e o que deve ser consertado. E essa imagem advém de raciocínios lógicos, organizados através de um método, como é exatamente o atributo das Ciências.”

Qualquer modelo que adota um método, é organizado e advém de raciocínios lógicos pode e será substituído pela tecnologia.

E é por isso mesmo que a N.A.N.D.A., a Inteligência Artificial criada pela Nucont, existe. Tudo o que puder ser automatizado na Contabilidade Consultiva, será feito por ela. E o diagnóstico da saúde das empresas já está sendo exibido por ela.

Nessa imagem, a N.A.N.D.A. identificou um padrão de comportamento de indicadores de Capital de Giro dessa empresa que a colocou na condição de pré-insolvente. E é incrível como os números são capazes de contar a história de uma empresa. Quanto mais dados tivermos, mais precisa será essa história e o possível desfecho dela.

A N.A.N.D.A. já é capaz não só de oferecer o diagnóstico da empresa, mas também apresentar quais são as causas que a levaram àquela condição e quais são as possíveis soluções para resolver os problemas identificados.

Ora, se a tecnologia já é capaz de interpretar e fazer análises gerenciais, identificar causas e soluções dos problemas das empresas, então ao contador caberá fazer exatamente o que?

Não é à toa que o 5º Pilar da Contabilidade Consultiva é o Relacionamento com o Cliente. Porque é exatamente isso que o contador deve fazer. Estar próximo e se relacionar de forma humanizada, para liderar o cliente e conduzi-lo na jornada empreendedora rumo à prosperidade.

Tudo o que pudermos fazer em termos de tecnologia para tirar você, contador, de dentro do seu escritório e focar no relacionamento com o seu cliente, será feito.

E não se sinta diminuído, porque esse sim é o trabalho mais nobre de todos.

Para tirar as empresas da condição de doença e levá-las à salubridade, é preciso da atuação consultiva do contador.

O gráfico abaixo mostra as empresas que entraram no Nucont doentes no T0. Para classificar a doença, nesse caso, foi considerado o risco da empresa em se tornar insolvente.

Observe que já no 1º mês de uso do Nucont 1 em cada 4 empresas saíram da condição de doentes e se tornaram saudáveis. No 6º mês, esse percentual já salta para quase metade das empresas!

Isso é fruto do trabalho do contador, e eu digo isso porque de nada adianta a tecnologia identificar um determinado problema na empresa, se não houver alguém que garanta que a solução seja de fato executada e que em termos práticos, a tecnologia pode, por exemplo, identificar que o estoque de determinada empresa está alto e que isso está comprometendo a sua necessidade de capital de giro.

Uma possível ação para corrigir isso seria fazer um saldão e vender o estoque obsoleto. Agora, quem garante que o empresário de fato fará isso? Quem vai dar a ele a segurança e o apoio em um momento incerto de tomada de decisão?

A tecnologia existe e está cada vez mais acessível para você usá-la a seu favor. Robô nenhum é capaz de compreender os medos, anseios e inseguranças de outro ser humano.

Você, contador, é capaz disso e de muito mais, se colocar em prática os 6 Pilares da Contabilidade Consultiva.

CONCLUSÃO

O objetivo desse conteúdo foi apresentar os 6 Pilares da Contabilidade Consultiva e permitir que você, contador, conheça, estude e se fortaleça em cada um deles:

Os seis pilares da contabilidade consultiva
Os seis pilares da contabilidade consultiva

Todos os pilares são interdependentes entre si, por isso um pilar fraco acaba comprometendo todos os outros.

O mais importante que deve ficar ao final dessa leitura é a certeza de que a Contabilidade Consultiva é aplicável, traz resultados para as empresas e para os contadores e existem modelos conhecidos para isso. Se você entendeu isso, talvez a sua pergunta seja: Por qual pilar eu devo começar?

Não existe uma ordem específica para aplicar, mas eu sugiro sempre começar por aquilo que você considerar mais fácil e mais condizente com a sua realidade.

Você é capaz de visitar um cliente hoje? Então comece pelo pilar do Relacionamento com o Cliente. Você abriu um escritório agora e precisa captar clientes? Então inicie pelo Reposicionamento Estratégico.

E lembre-se sempre de que por mais que seja às vezes seja difícil.

VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO NESSA!

Tamo junto!

Fernanda Rocha

Deixe um Comentário

  • […] Clique aqui para Acessar o artigo do 6º Pilar: Tecnologia acessível. […]

  • […] entre outras soluções. Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para que você entenda como a Inteligência Artificial na contabilidade já é uma realidade e de que forma ela está trazendo inovação ao setor. Continue a leitura e saiba […]

  • >
    >