Contabilidade Consultiva

4º PILAR: TREINAMENTO E PRÁTICA

13 abr

Certa vez, ouvi um professor de Auditoria dizer: “O conhecimento contábil adquirido na Universidade parece ter desaparecido dos escritórios contábeis”. A crítica era à péssima qualidade das demonstrações contábeis que ele recebia de contadores terceirizados quando realizava um serviço de Auditoria nas empresas.

Erros de contabilização primários, desobediência às normas contábeis, nomenclaturas incorretas de contas, DRE com estrutura errada… “uma aberração pior do que a outra”, lamentava o professor. De tanto mexer com toda essa patifaria do sistema tributário e trabalhista brasileiro, o contador se esqueceu de como fazer Contabilidade.

Inclusive, é normal os escritórios de contabilidade não terem sequer o departamento contábil instituído. E mesmo quando tem, é um departamento sem recursos, sem pessoas qualificadas, sem processos e totalmente jogado às traças. Pois anote bem isso: Não há que se falar em Contabilidade Consultiva sem ter um departamento contábil decente.

A geração e correta interpretação das demonstrações contábeis e os índices que delas derivam são cruciais no trabalho do contador consultor. E é fundamental que se reproduza o conhecimento e se fomente o treinamento constante entre todas as pessoas do departamento contábil, porque o nível de desqualificação de quem trabalha nesse setor é absurda!

Leonardo da Vinci disse, “A prática sem a teoria cientifica é algo perigoso quando em jogo estão os destinos das pessoas”. A Contabilidade é capaz de traçar o destino de uma empresa e, consequentemente, de todos a ela vinculados. Mas alguns contadores parecem não saber disso.

Se lançam no mercado e se intitulam “empresários contábeis” ou “gestores contábeis” que, na verdade, estão preocupados apenas em “como vender mais e escalar os serviços” e talvez até causam uma boa impressão inicial, mas sem nenhum apego à ciência contábil e no que a sua falta implica. Não me interprete mal, ter habilidades empreendedoras é fundamental, mas antes de ser um empreendedor você é um cientista contábil. Lembre-se disso.

Resumindo, você precisa estudar e praticar a Contabilidade, contador. E para te ajudar com isso, baixe o e-Book sobre COMO CURAR AS DOENÇAS DAS EMPRESAS ATRAVÉS DA CONTABILIDADE.

Leia, estude, releia e relembre de quão satisfatório é saber interpretar os exames de uma empresa e dizer se ela está ou não saudável e qual caminho ela poderá seguir rumo à prosperidade.

Mas saiba que não só de estudo você viverá. Por isso a prática precisa vir junto. Você provavelmente não sabe ser um contador consultor. Esse conteúdo aqui vai te dar um norte, mas se você não botar a cara e ir pra luta você jamais saberá como é. Vai dar errado? Vai. Várias vezes.

Por exemplo, você vai achar um problema em uma empresa que na verdade não é um problema do ponto de vista do empresário. Então ele vai te ignorar. Você vai fazer interpretações erradas. Vai ficar falando sozinho em algumas reuniões com clientes. Vai fazer papel de trouxa. Mas olha, isso não importa. Você vai errar muito antes de acertar. Mas vai acertar. Vai conseguir fazer a diferença na vida de um cliente, e será transformador para a sua vida. E depois você fará o mesmo por outro cliente, e depois outro e outro… e sentirá o orgulho mais puro e genuíno de ter escolhido a única profissão capaz de mudar o mundo, gerando mais valor e mais riqueza para a sociedade!

Para finalizar, deixo aqui as sábias palavras do Mestre Lopes de Sá, “Consultores contábeis se formam especialmente na grande escola da experiência, da liberdade de pensamento, supridas tais virtudes com o defluente poder de criatividade, este que depende de acumulação de conhecimento e educação volvida ao pleno domínio de si mesmo.”

Contador, VAI LÁ E FAZ! E depois me conta como foi.

Clique aqui para Acessar o artigo do 5º Pilar: Relacionamento com o cliente

Tamo junto,

Fernanda Rocha

Deixe um Comentário

  • […] Clique aqui para Acessar o artigo do 4º Pilar: Treinamento e Prática. […]

  • >
    >