Por que precisamos da Contabilizei?

22 de novembro de 2017

Olá meu amigo contador! Se você está lendo esse artigo, é por dois motivos:

  1. Você é um cara atualizado e adepto às inovações que o mercado contábil tem nos ofertado ou
  2. Alguém com raiva do que eu escrevi resolveu te mostrar para você ficar com raiva também e pensar “A que ponto chegamos?”

Bem, independente de que lado você está, leia esse artigo até o fim. Prometo que não te faço perder seu tempo.

Eu citei o nome da Contabilizei porque é a que todo mundo conhece. A que aparece na mídia, que recebe investimento, que é uma startup acelerada pelo Google (notícia recente).

Mas eu estou me referindo a todas as contabilidades online que, num modelo de negócios escalável, consegue cobrar um valor bem abaixo do “meio salário mínimo” ao qual estávamos habituados.

Concorrência desleal? Aviltamento de honorários? Atitude antiética? Sei lá. A verdade, meu caro, doa a quem doer, é que o mercado contábil estava precisando disso.

Durante um bom tempo, o segmento contábil ficou jogado às traças em termos de tecnologia. Você contratava um software contábil, entre os míseros 4 disponíveis, (o resto deles era muito ruim ou ninguém conhecia) e pronto.

Software contábil nunca resolveu todos os problemas de processos internos no escritório. O módulo mais caro do programa não era suficiente para eliminar tarefas totalmente manuais e te obrigava a manter controles paralelos em planilhas, agendas, bloco de notas, seja lá onde fosse.

Assim, prestar serviços contábeis era um trabalho essencialmente artesanal, demorado, meticuloso demais. Logo, o custo era alto. E a consequência disso não podia ser outra: honorários caros por um serviço com pouquíssima percepção de valor.

E o empresário, por sua vez, pagava o contador sempre achando que tava pagando caro, mas como não tinha outra escolha, aceitava na base do “tem que pagar né, fazer o que?”. Foi daí que veio a imagem do contador visto como um “mal necessário” para as empresas.

Esse cenário que eu acabei de escrever não é de 20 anos atrás. É de 2 anos atrás. Em apenas 2 anos aconteceram eventos que fizeram o velho e tradicional mercado contábil ser bombardeado com uma quantidade infinita de informações novas e “ameaçadoras” para o profissional cujo símbolo é uma calculadora de fita (!!).

Sabe aquele malote gigante de documentos que a empresa mandava para o escritório? Sabe aquela digitação interminável de documentos? Sabe aquele leitor de código de barras? Sabe aquela comunicação falha, lenta e descompassada com o cliente?

Pois é. De repente, alguém olhou para o mercado contábil e viu o quanto ele era carente de soluções tecnológicas, o quanto era atrasado, retrógrado e deixava o empresário à mercê desse “serviço que ninguém entende”.

E assim ela veio, ela que dá nome ao título desse artigo, toda imponente, com uma linguagem leve e moderninha, com um marketing pesado, trocando o “meio salário” pelo “cinquentão”. Uma startup de contabilidade!!!!

Ela veio esfregar na nossa cara que é possível inovar no mercado mais tradicional e burocrático de todos. Veio mostrar que é possível automatizar o processo artesanal que não agrega valor no relacionamento com o cliente. Veio provar que o que parecia ser complexo demais podia ser feito de forma simples, rápida e escalável. E por isso, podia-se cobrar barato. Bem barato.

Meu amigo contador, presta atenção nisso: se a Contabilizei e demais contabilidades online com modelos escaláveis conseguem automatizar todos os serviços (guia e folha), processos e controles internos que não geram valor para o cliente, você consegue também!!!!

E aí, sabe da melhor notícia? Como felizmente já existem tecnologias específicas para o mercado contábil que permitem que você automatize tudo isso, agora você poderá, finalmente, dedicar-se ao seu cliente. Prestar um serviço diferenciado, personalizado, pessoal. Visitá-lo, ajudá-lo na gestão do seu negócio, oferecer uma consultoria financeira e gerencial. Afinal, contabilidade não foi feita pra isso??

E assim, podemos levar a contabilidade para um novo nível de excelência, uma contabilidade consultiva, focada em resultados.

Entregar guia e folha pode, agora, valer cinquenta reais. Contabilidade direcionada para o sucesso do cliente, essa sim, é a que faz o empresário enxergar o seu serviço como um investimento que vale a pena pagar mais caro.

Portanto, Contabilizei, obrigada por ter sacudido o mercado contábil e feito pessoas acomodadas como eu reinventar meu modelo de negócios e transformar a Fatto em uma contabilidade referência em gestão com foco em resultados.

Para finalizar, aqui vai alguns exemplos de ferramentas que te ajudam muito a automatizar os processos internos do seu escritório:

Integração financeiro-contábil: NiboContaAzulOmie.

Busca e gestão de XML de notas fiscais: ArquiveiBusca NF-e da Domínio Sistemas.

Organização de tarefas: Trello

Atendimento e suporte ao cliente: ZendeskFreshdesk.

E se você quiser encantar o seu cliente oferecendo a ele uma contabilidade gerencial, com gráficos e indicadores lindos e coloridos, venha conhecer o NUCONT, minha startup.

Um abraço e até a próxima!

Gostou? Se quiser mais conteúdos legais, visite minha página no Facebook Contabilidade Sem Chatice e também meu Canal no Youtube.

Lá eu compartilho vídeos e outros conteúdos sobre a arte de ser empresário contábil, mas com uma linguagem leve e descontraída!

Fernanda Rocha 
Fundadora do Nucont e do Movimento Contabilidade Sem Chatice 
Esposa do Luis, mãe do Filipe e de dois labradores, Bob e Backer. 
Fã de U2 e de Metallica. 
Como empresária contábil eu já estive no fundo do poço, a ponto de largar tudo. Até que através da contabilidade consultiva achei uma maneira de entregar mais valor para as empresas e com isso fui mais valorizada. 
Hoje tenho como missão de vida replicar para outros contadores tudo o que eu aprendi nessa jornada e garantir que o contador deixe para sempre de ser o mal necessário das empresas.

  • Marcos Vinicius disse:

    Concorrência desleal, publicidade enganosa com o intuito de roubar clientes dos outros e ainda vender produtos dos parceiros. O CFC deve cair em cima e urgentes.


  • >