Delegue sem dor – Parte 2

6 de abril de 2018

Delegar é uma das atividades mais importantes e mais difíceis do mundo empresarial. Por isso dividi em três partes, e demos inicio a trilogia de artigos “Delegue Sem Dor”.

Na semana passada, na PARTE 1, tratamos de três importantes tópicos sobre delegar atividades:

  1. Porque você não consegue delegar
  2. A importância da confiança
  3. Por que sua equipe não está pronta para receber uma atividade

Essa semana, dando continuidade, na PARTE 2, trataremos de:

  1. A importância do retorno
  2. Tenha um painel de acompanhamento
  3. Não delegue atividades, delegue problemas

Vamos lá...

1. A importância do retorno

O que sua equipe precisa saber é dar retorno das atividades. Ela precisa ter este hábito. Dar retorno de como está a situação é uma das questões mais importantes para que você sinta confiança na equipe.

Mas agora, você sabe por que sua equipe não te da retorno?

Porque ela não te enxerga como um tirador de pedras no caminho. Esse é o papel do líder, tirar os empecilhos, os impedimentos que atrapalham a execução da tarefa.

Outra coisa, sua equipe tem receio de dizer pra você que já finalizou uma atividade e você passar outra pra ela fazer. Todos nós somos procrastinadores (deixamos pra depois o que pode ser feito agora). A diferença é que eu e você somos responsáveis pelo resultado. Nós “empurramos com a barriga”, mas entregamos resultado. Muitos membros de sua equipe são assim, não é mesmo?

Acompanha comigo o raciocínio:
- Você delega uma atividade com duração estimada de 4h.
- O membro de sua equipe termina a atividade em 3h.

Agora, duas coisas podem acontecer:
a) Ele te avisa, e você, sem reconhecer o trabalho, passa outra atividade.
b) Ele enrola mais 1h e te avisa quando terminar as 4h previstas.

Faça um trabalho de empatia e se coloque no lugar do membro de sua equipe.

“Ah, mas eu avisaria que havia terminado em 3h pra mostrar trabalho e ser reconhecido.”, você pode estar pensando.
OK.

Temos duas questões aqui:
1) Você, líder, realmente reconhece o trabalho de sua equipe?
2) Esse tal reconhecimento que você daria à sua equipe é algo realmente palpável?

a. Não estou falando de reconhecimento financeiro.
b. A provocação que estou fazendo é: o que vale mais para ele?

Vejo muito empresário por aí que passa o dia inteiro tentando arrumar trabalho pros funcionários. Ele não pode ver alguém atoa que tem que arrumar trabalho.

Afinal de contas, ele paga para o funcionário trabalhar.

Esse é um raciocínio falacioso. Que leva o empresário a criar uma cultura de enganação, na qual todo funcionário vai parecer ocupado o tempo todo para não ter que receber nenhuma atividade extra do patrão.

Não caia nesta armadilha.
Não cobre esforço.
Cobre resultado.

2. Tenha um painel de acompanhamento

Eu adoro gestão à vista. Pra mim paredes são quadros para se planejar e acompanhar resultados. ( Ouça o podcast "REUNIÕES (IM)PRODUTIVAS)

Como a função do líder é ser o eliminador de impedimentos que atrapalham a execução das tarefas, estas devem estar em um painel de acompanhamento. Você pode usar um painel de acompanhamento completo utilizando a técnica do 5W2H que explico no podcast do PDCA, mas você pode fazer mais simples ainda, e muitas vezes, mais funcional (O difícil é fazer simples).

Para cada atividade defina:
· Quem (Responsável, deve ser uma pessoa, não um departamento)
· Quando (Prazo, acordado com o responsável da atividade)

Pronto.
Simples.

Delegar não é uma atividade que você faz uma vez e pronto.
Não.
Exige acompanhamento.

E essa parte você não pode delegar. Essa atividade é sua.
Se você não acompanhar o resultado não virá.

Ouça também "COMO ACOMPANHAR UMA META".

3. Não delegue atividades, delegue problemas 

Quando você for delegar, não diga para sua equipe o que ela deve fazer.

Não delegue a atividade. Delegue o problema.
Não delegue o esforço. Delegue o resultado esperado.

Quando você pede:
· Faça uma planilha em Excel contendo os dias de vencimento de nossos clientes ativos.

Você limita seu funcionário a ser um tarefeiro. Ele não precisa pensar. Ele só tem que fazer o que você pediu. Você está atrofiando ele.

Quando você diz:
· Estamos com nossa inadimplência alta. Precisamos saber se nosso fluxo de cobrança está correto e pensei em começar verificando se as datas de vencimento de nossos clientes estão no melhor dia. O que acha?

Agora você envolveu seu funcionário. Agora você está exercitando sua equipe a pensar junto de você.

Entendo que você pode achar que  sua equipe não consegue acompanhar seu raciocínio, mas se você não começar a resolver isso hoje vai ficar preso nesse ciclo vicioso para sempre.

“Uma jornada de mil léguas começa pelo primeiro passo.” (Provérbio Chinês)

Se sua equipe não está te acompanhando, ela, certamente, precisa de treinamento.

E antes que você pense algo errôneo sobre treinamento, veja a frase abaixo:
“Pior do que treinar um funcionário e ver ele sair, é não treinar e ver ele ficar.”

Espero que o texto acima tenha ajudado.
Nos vemos na próxima semana com a última parte da nossa trilogia!!!
 Até lá!

Se você ainda não leu a PARTE 1, clique aqui.

Luis Filipe Winther
Fundador e CEO do Nucont.


>